26º Psicografia – Tatiana Madjarof

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no telegram
Telegram

26º Psicografia – Tatiana Madjarof

Querida mãezinha Rosana, querida vozinha Rosa.

As bênçãos de Deus nos envolvam hoje e sempre! Nos associamos nesta hora de alegria para os nossos corações, onde nos tornamos mais perto do que sempre estamos. A saudade é imensa também, pois não podia ser diferente… Porque a vida continua normalmente, apesar da dor que fica em nossos corações. Mas, eu não vim aqui para falar do acidente… Não quero lembrar o acontecimento, pois venho aprendendo a esquecer as coisas não boas em meus caminhos. O que mais tento fazer é olhar para frente, e não deixar a “lastimação” me envolver, pois ficar pensando no acidente não me ajudaria. Sei que vocês, mamãe e vovó, me entenderão. Quero pensar no futuro que está pela frente.

Quem disse que a morte é o final de tudo? É o que compreendi melhor, pois encontrei não simplesmente a vida que segue, mas os desafios que aqui encontramos. Fico pensando naqueles que vivem por aí pensando em coisas mirabolantes deste lado, como se aqui tivéssemos só nuvens para viajar, e jardins para ficar sentado em um banco para ficar contando só histórias, ou esperando a chegada de anjos com harpas, cantando melodias Divinas, e nada mais aqui existisse.

A quem pensa que do lado de cá é ficar de joelhos o dia inteiro orando aos Santos… Não é assim não. Sim! Temos Templos, Igrejas para orar. Sim! Também olhamos para as nuvens, buscando identificar alguma forma conhecida nelas. Sim! Temos jardins para sentar e trabalhar, mas temos uma vida social mamãe e vovó, que nos convida a aprender.

Por isso não pensem que a medicina para mim acabou, ou para os médicos que já exerciam aí a medicina e que hoje aqui se encontram. A luta e os desafios continuam… Nada se perdeu para mim. Vou continuar na busca de aprendizado, prosseguir em meus anseios, até porque estou sabendo que morrer fisicamente, se assim posso expressar, não significa chegar aqui sem problemas. Se existe uma área atuante aqui, é a medicina.

Chegamos aqui com dificuldades a serem superadas, portanto, tanto eu, como a tia Ivete e a tia Silvia, seguimos em nossos anseios, a diferença é que aí vocês estão no corpo físico, e nós aqui estamos em outro corpo; o corpo espiritual, mas que segue com sua fisiologia, conforme as vibrações daqui.

Mamãe, vovó, fiquem tranquilas, pois o mesmo sol que alvorece aí, é o mesmo que aqui nasce com seu brilho maravilhoso. Estejamos todos juntos.

Os animais, mamãe, seguem a sua evolução aqui, não me é possível detalhar o que ocorre com um animal em um acidente, junto com o seu chamado “dono” ou “dona”… O tempo não nos permite.

O vovô Paulo, vovó Rosa, envia-lhe abraços carinhosos, e está aqui conosco nesta manhã. A tia Silvia e a tia Ivete não puderam vir.

Abraço sim, a minha irmã Luciana, com os votos sinceros de todo sucesso para ela. Que a Lú conte comigo para qualquer situação, pois não sou a irmã distante.

Deixo o meu coração na sua mão mamãe, para que você coloque em seu coração de mãe dedicada e afetuosa.

Vó, grande beijo.

Sou a filha, neta e irmã.

Com carinho, sempre com carinho.

Tatinha.

Tatiana Madjarof Bussamra.

 

Mensagem psicografada pelo médium Orlando Noronha Carneiro, em reunião pública, na noite do dia 22/07/2012, no Centro Espírita “Casa do Auxílio”, à Rua Maurício de Castilho, 246 – Vila Monumento – São Paulo – SP.

 

Esclarecimentos:
  • Rosana e Jorge — Pais;
  • Lú (Luciana) — Irmã;
  • Vovó Rosa — Avó materna;
  • Silvia — Tia materna, desencarnada em 04/05/1986, aos 19 anos, em acidente automobilístico na Via Anchieta;
  • Ivete — Tia materna, desencarnada em 22/06/2005, aos 44 anos, em decorrência de um câncer;
  • Vovô Paulo — Avô materno, desencarnado em 12/05/1991, aos 57 anos, vítima de infarto.

 

Comentário:

Como é de conhecimento de todos, eu nunca procurei nenhuma outra mensagem que não fosse através do médium Celso de Almeida Afonso, e por isso quero esclarecer como eu cheguei até essa mensagem… Na noite do dia 18/07 eu tive um sonho onde minha mãe entregava-me uma mensagem, e dizia que a mensagem era da Tati. Eu perguntei à minha mãe como era sabia que era da Tati, e quem havia recebido a mensagem. Foi aí que minha mãe disse que a mensagem havia sido psicografa pelo médium Orlando. Na manhã seguinte eu fui pesquisar sobre esse médium, e qual não foi a minha surpresa quando vi, na primeira página de busca que achei, que o médium Orlando, que é de Curitiba, estaria psicografando no bairro do Ipiranga, no domingo, 22/07. Sem pensar duas vezes, madruguei na porta do Centro Espírita na manhã do dia 22/07, e tive a feliz surpresa de receber esta linda mensagem. Não tive dúvida alguma sobre a mensagem, e tenho plena certeza que o meu sonho foi um aviso da minha filhota linda.