MEU PAI: O GRANDE HOMEM DA MINHA VIDA - PAULO MADJAROF - PORTAL ESPÍRITA E FILOSÓFICO SAUDADE E ADEUS
Saudade e Adeus - Tatiana Madjarof Bussamra - Página Inicial

 

 Saudade e Adeus

 

 

Meu Pai: O Grande Homem da Minha Vida

 

MEU PAI: PAULO MADJAROF - SAUDADE ETERNA!   Tempos bons que não voltam mais... Tempo em que podíamos brincar nas ruas, sem receios, sem medos. Brincadeiras de crianças que, hodiernamente, não vemos mais; como, por exemplo, ciranda, amarelinha, bafo, bolinha de gude, passa anel, pular corda e muitas outras que, no momento, não me vêm à mente.

Muitos anos se passaram, mas lembro-me com muita saudade e carinho do homem mais importante da minha vida, do homem que me ensinou a brincar, sorrir, sonhar, me educou, me amou e lutou, lutou muito, e com muito sacrifício para que eu pudesse ser o que hoje sou.

Lembro-me, também, dos tempos de Ditadura, onde não podíamos falar em política ou ter pensamentos contrários ao regime da época. Não podíamos ter acesso a certos livros, mas, sempre que podia, pegava os livros que meu pai guardava a sete chaves sobre o regime comunista e devorava-os. E foi assim que, desde cedo, aprendi a dizer o que penso, mesmo correndo o risco de ser repreendida.

Ah! Se eu pudesse voltar no tempo... Com certeza, teria dado mais valor às coisas mais simples da minha vida, como, por exemplo, o cafezinho que meu pai levava todas as manhãs para me acordar. Teria sido mais paciente e compreensiva... Teria dado mais e exigido menos... Teria ouvido mais e falado menos... Teria amado mais, beijado mais, abraçado mais... Melhorado mais.

É por isso que eu sempre digo: não deixe para depois o que podes fazer hoje. Não basta apenas filosofar... Tem-se que pôr em prática toda a sua filosofia; para não transformá-la em uma mera e simples vã filosofia. Não tenha vergonha nem receio de dizer o quanto ama alguém, seja homem ou mulher. O amor não tem sexo, idade, raça, cor. O amor é sublime e deve ser dito e demonstrado. Diga Eu te Amo sempre que sentir vontade. Não sinta saudade de não ter dito, muitas vezes, Eu te Amo...

Hoje, queria poder ter meu velho e querido pai aqui, comigo. Talvez fizéssemos juntos o que não tivemos tempo nem oportunidade de fazer outrora. Poderíamos trocar mais idéias, discutiríamos mais sobre a política - que ele tanto gostava -, passearíamos mais, dividiríamos nossas alegrias e tristezas, ficaríamos mais juntos, mais próximos.

É... Lá se vão dezoito anos de saudades e recordações. Minhas memórias estão bem guardadas e, cada minuto que passei ao seu lado está gravado em minha mente e em meu coração. O orgulho que sinto por de ter podido chamá-lo de MEU PAI é incomensurável e inenarrável. Você foi o homem mais importante da minha vida, e eu te amarei eternamente.

Deixo, aqui, o meu eterno agradecimento por tudo que você fez por mim, por tudo aquilo que você gostaria de ter feito e não pôde, por tudo que você representou na minha vida, por ter feito de mim uma pessoa digna e respeitável, por ter me ensinado a amar e ser amada, honrar e ser honrada... Por ter me ensinado a viver e a crescer.

Obrigada Meu Pai. Eu Te Amo e Te Amarei Eternamente.

Sua filha sempre grata, Rosana Madjarof.

 

© Rosana Madjarof 1992 - Respeite os Direitos Autorais

 
Paulo Madjarof
Nasceu em 18/05/1933 em São Paulo – SP
Desencarnou em 12/05/1991 em São Paulo – SP
 
  Anterior Retornar Para Poesias

Próxima

 
 

 

 

SIGA O SAUDADE E ADEUS NO TWITTER

Siga o Saudade e Adeus no Twitter

 
 

 

 

 

A caixa de comentários só poderá ser visualizada corretamente se você estiver usando os navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome.

 

 

Valéria Braz - Sobre Tudo Um Pouco - 17/02/2010 - 03:08 h.

Rosana, minha amiga... a vida pode ser bem curta,bem o sabemos, por isso estou contigo, nunca devemos deixar de dizer eu te amo sempre que tivermos vontade...E nunca deixar para amanhã o que podemos fazer hoje.
Que linda homenagem, e lindo ter tido um pai capaz de deixar tantas boas lembranças e mais lindo ainda ter coragem de vivenciar isto!
Beijo apertadinho no seu coração.


Sereníssima - Poética e Cotidiana - 17/02/2010 - 05:28 h.

Rosana,
sempre que vejo um depoimento assim, me bate uma saudade do que não tive.
Meu pai faleceu quando eu tinha de 3 pra 4 anos. Ele era uma pessoa rigorosa com os filhos. Agredia-os violentamente, por tudo e por nada. Hoje até entendo que para ele era a única forma que conhecia para "educar". Mas levei muito tempo para entender e aceitar isso. Ele faleceu ainda jovem, aos 48 anos, de um ataque cardíaco.
Minha mãe, uma Guerreira, (no que de mais fundo tem essa palavra), criou seus 8 filhos sozinha, na lida da roça, como muitas outras mulheres nordestinas. Viúva aos 32 anos, nunca casou para que - segundo ela - nenhum outro homem maltratasse seus filhos.
No Dia dos Pais, digo sempre a ela: "Mãe, Feliz Dia dos Pais!".
Achei linda demais a sua homenagem!
Seu pai merece!

Desculpe o desabafo... num post tão lindo.

Abraço carinhoso.


Geraldo - Blog dos Pharis - 17/02/2010 - 09:43 h.

Olá Rosana,

Boas recordações também eu tenho de meu pai, são quase 26 anos de separação física, mas em espírito creio estarmos sempre unidos..

Abraço.


Luísa - Artes & Manhas - 17/02/2010 - 10:57 h.

Olá Rosana!

Os entes queridos que partiram vivem nas nossas recordações e de algum modo estão ali a dar-nos a força necessária para continuar, sempre indicando os caminhos certos.

Muito linda a tua homenagem!

Beijos,
Luísa.


João Batista da Cunha - Poesias do João Poeta - 17/02/2010 - 11:36 h.

Oi, Rosana, você é uma pessoa muito grata as pessoas que ama. Isto é próprio das grandes almas, que sabem dar valor as coisas belas da vida.
Um abraço,
João.


Claudine - Mensagens e Poesias - 17/02/2010 - 12:32 h.

Olá amiga Rosana, linda homenagem que fizestes para seu querido pai. Quando somos crianças e adolescentes não damos o devido valor aqueles que nos criam e nos ensinam o caminho da vida. Se pudéssemos voltar no tempo realmente faríamos muitas coisas diferentes, mas como não podemos devemos nos lembrar com amor daquele homem a quem não soubemos dar o devido valor a que merecia e pedir perdão por isso. Amiga, você passou mais tempo com seu pai do que eu com o meu. No dia 15 de junho vai fazer 30 anos que o meu desencarnou, sua doença foi o câncer.
Rosana, seu pai deve ter sido um homem e tanto para falares dele com tanto amor e carinho. Você teve muita sorte por tê-lo como pai, sempre agradeça a DEUS por isso.Sabe, eu sinto falta de chamar o nome pai, quando o meu se foi eu tinha só 16 anos.
Parabéns amiga por ter escrito esta matéria tão linda, você sempre me emociona com seus textos e este em especial pois lembrei do homem que amei e nunca falei o que sentia para ele. Por isso sempre falo AMO meu filho, AMO meus amigos, AMO minha mãe, AMO minha família. AMO você amiga, nunca te vi, mas para amar alguém não é preciso ver e sim sentir-lhe o coração.
Suas brincadeiras de criança foram as minhas também, pena que nossos filhos não tiveram a nossa infância.
Mais uma vez obrigada por ter escrito esse texto.

Beijão.


Diego - Absurdos & Polêmicos - 17/02/2010 - 13:38 h.

Lindo texto Rosana.
Incrível esse dom que tem de relatar em palavras o que sente.

Bjs. Bjs.


Paulo Madjarof Filho - UniversoPSI - 17/02/2010 -13:43 h.

Ro,

Só posso agradecer a você por ter me avisado da sua postagem, mesmo não sabendo de qual assunto se tratava.

Ao ler as linhas que escreveu não pude controlar a emoção, pois lembrei com muita saudade daqueles tempos em que tínhamos a companhia do nosso PAIZÃO sempre participando das nossas brincadeiras.

Obrigado por me avisar Ro. Valeu mesmo por essa postagem tão linda e tão merecida.

Te Amo.

Beijão.

Paulo.


Sissym - Masquerade - 17/02/2010 - 15:24 h.

Rosana,

A minha família começou e se encerrou no meu pai. Ele era pai e mãe e paiavô (kkkkk), era amigo, contador de histórias, incentivador de travessuras. Ele dava muito carinho e ensinava o que era certo e errado. Ele me tratava como uma princesa.
Quando ele se foi, perdi tudo. Por isso, vocês já devem ter notado em relatos meus que sinto muita falta dele. Ele me deixou órfã. Hoje tenho minha filha e uma gatinha, mais nada.

Beijos.


J. Aparecido Vieira - Blog do Prof. Aparecido - 17/02/2010 - 16:09 h.

Texto completo sobre a afetividade de uma boa filha.
Merece todos os elogios, tanto o pai quanto a filha que escreveu este belo Texto.
Parabéns.


Lilian Candello Salvadori - Blog da Vovó Lili - 17/02/2010 - 16:30 h.

Olá querida amiga Rosana,

Fiquei emocionada com a homenagem que prestou a seu pai. Fez-me lembrar do meu, que também já não mais está entre nós desde 1982 e que também foi um pai amantíssimo, carinhoso, honesto e trilhou sempre no caminho dos justos.

Que lembranças gostosas. É bem verdade o que escreveu, as brincadeiras de outrora, tão ingênuas, mas tão alegres. E como a gente se divertia e brincava até tarde da noite na rua, em frente a casa, sem perigo nenhum. Meu pai costumava ficar com os braços debruçados no portão vendo os três filhos menores brincarem com outros da rua.
Quanta saudade!

O jeito como fala do seu pai, demonstra-o como um pai especial, um pai amoroso e terno que deixou marcado em seu coração o pai maravilhoso que foi, por isso essa saudade e o sentimento de não poder ter dito tudo que queria. Mas saiba, querida amiga, que essa homenagem ele a recebe com o grande amor que dedicou a você e certamente se sente gratificado pela filha que bondosa, carinhosa e especial que formou.

Você nos presenteou com uma mensagem muito linda que nos estimula a declarar sempre o amor que sentimos, a não deixarmos passar a oportunidade de dizer "eu te amo" aos familiares e amigos.

Parabéns pela mensagem!
Parabéns pelo pai maravilhoso que teve e pela filha que é.
Te amo querida amiga.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian.


Denize - Blog da Comentarista - 17/02/2010 - 17:14 h.

Oi Rosana! Meu Deus! Que comovente este teu texto! Me identifiquei o tempo todo.

E como fazer um comentário que faça sentido depois do que li?

Só posso dizer que somos privilegiadas por termos tido a oportunidade de convivermos com pais assim maravilhosos.

Fiquei lendo e claro, inevitavelmente relembrando a pessoa amorosa, que aparou todas as arestas do meu caminho, que se doava inteiro a tudo e a todos.

E uma coisa eu tenho certeza, ele nunca vai poder se queixar de falta de beijos. Eram tantos que ele chegava a ficar tonto, coitado... rs.

Também penso como você que não seria a pessoa que sou hoje, se ele e minha mãe não tivessem sido o apoio e o esteio dos meus primeiros passos.

Seus exemplos de integridade, honestidade, generosidade estão vivos na minha memória e norteiam minhas atitudes até hoje.

Hoje nossos paizinhos seguem suas Jornadas que acredito sejam abençoadas, por todo o merecimento que tiveram nas suas trajetórias junto a nós.

E nos cabe seguir nossa luta, mandando muitos beijos espirituais, até podermos encontrá-los de novo.

Preciso dizer que adorei tua postagem? Você escreve lindamente do teu coração para o coração de quem lê. É impossível não se emocionar...

Bjs. Denize.


Iúri - Blog Simples Assim - 17/02/2010 - 21:23 h.

Olá querida Rosana,

Se quem lê se emociona, imagine você quando escreveu tão belo texto. Todos são cheios de emoção e amor, mostrando a pessoa especial que és.

Beijos.


Mauro Chagas - Versos Imagens & Poesias - 18/02/2010 - 10:55 h.

Feliz aquele que tem belas lembranças como tal. Quando o Fábio Junior cantou a sua música Pai na TV Preto e Branco, tirou-me lágrimas como até hoje ainda tira. Eu tive e a felicidade de cantá-la ao meu pai. Parabéns pela publicação. Deus te abençoe as boas lembranças, são tesouros que nenhum pirata pode roubar.


Ricardo - 19/02/2010 - 19:14 h.

Como é bom termos um Mestre, ao nosso lado.
Lembro de um acontecimento que ocorreu em março de 1997.
Meu primo havia perdido seu pai, ele policial do extinto BPTRAN.
Na época ele passava com a viatura, juntamente com outro soldado e uma aluna, aspirante a Oficial.
Houve um assalto no Clube Hebraica, na Marginal Pinheiros. Ele desceu da viatura e recebeu um disparo no peito ceifando sua vida.
Gostava de meu tio, e admirava o seu jeito sério, mas, de repente, ele tornava-se uma criança alegrando todos da família.
Sua partida deixou muita tristeza nos olhos do meu primo.
Ao vê-lo de tal forma quis consolá-lo, e disse a ele: É duro, é difícil, mas ele agora ele está com Deus e olha por você.
Ele me olhou de tal maneira, sorriu e falou: "Ele esta com Deus".
A partir daquele dia, quando algo o incomoda ele se abre comigo, e eu também faço o mesmo.

Nesta vida, a gente pede para Deus que não leve nossa mãe ou nosso pai, ou qualquer pessoa que amamos muito. Se pensarmos desta maneira, seremos egoístas, não querendo assumir responsabilidades.

É um aprendizado.


Elaine Lumikoski - 27/04/2010 - 14:45 h.

Olha, são as palavras mais sábias que já li desde o falecimento do meu pai, são exatamente os sentimentos que tenho no meu coração!!! Obrigada por compartilhá-las conosco!!!!


Tania Pomar - 21/05/2010 - 14:17 h.

Não esqueça, aonde ele estiver estará pensando em você, e no quanto ele foi feliz ao lado de sua mãe e com você também.



Elaborado e Idealizado por Rosana Madjarof - Todos os Direitos Reservados - Política de Privacidade