LOBOS INTERNOS - MOMENTO ESPÍRITA - PORTAL ESPÍRITA E FILOSÓFICO SAUDADE E ADEUS
Saudade e Adeus - Tatiana Madjarof Bussamra - Página Inicial

 

 Saudade e Adeus

 

 

Lobos Internos

 

 
 

 Um dia um velho avô foi procurado por seu neto, que estava com raiva de um amigo que o havia ofendido.

O sábio velhinho acalmou o neto e disse com carinho:

"Deixe-me contar-lhe uma história.

Eu mesmo, algumas vezes, senti muito ódio daqueles que me ofenderam tanto sem arrependimento, todavia, o ódio corrói a nossa intimidade mas não fere nosso inimigo. É o mesmo que tomar veneno desejando que o inimigo morra.

Lutei muitas vezes contra esses sentimentos.

O neto ouvia com atenção as considerações do avô. E ele continuou: "É como se existissem dois lobos dentro de mim. Um deles é bom, não magoa ninguém. Vive em harmonia com todos e não se ofende.

Ele só lutará quando for certo fazer isto, e da maneira correta. Mas, o outro lobo, ah!, esse é cheio de raiva.

Mesmo as pequenas coisas desagradáveis o levam facilmente a um ataque de ira! Ele briga com todos, o tempo todo, sem qualquer motivo. É tão irracional que nunca consegue mudar coisa alguma!

Algumas vezes é difícil de conviver com estes dois lobos dentro de mim, pois ambos tentam dominar meu espírito".

O garoto olhou intensamente nos olhos de seu avô e perguntou:

"E qual deles vence, vovô?"

O avô sorriu e respondeu baixinho:

"Aquele que eu alimento mais freqüentemente".

A figura do lobo é significativa, uma vez que representa o grau de animalidade que ainda rege as nossas ações.

Enquanto o ser humano não desenvolver todas as virtudes que o elevarão à categoria de espírito superior, sempre haverá em sua intimidade um pouco dos irracionais. E essa luta interna é que irá definindo o nosso amanhã, de acordo com o lado que mais alimentamos.

Por vezes, um simples ato impensado, uma simples ação infeliz, pode nos trazer conseqüências amargas por longo tempo.

Paulo, o grande apóstolo do cristianismo, identificou muito bem essa luta íntima quando disse: "o bem que eu quero, esse eu não faço, mas o mal que não quero, esse eu faço."

Indignado por algumas vezes ainda ser dominado pelo "homem velho", em prejuízo do homem novo que desejava ser, Paulo desabafou e nos deixou esta grande lição: é preciso perseverar.

É preciso deixar que esse lobo sedento de vingança e obcecado pela ira, que ainda encontra vitalidade em nosso íntimo, não receba alimento e desapareça de vez por todas, cedendo lugar ao homem moralmente renovado que desejamos ser.

Agindo dessa maneira poderemos um dia, não muito distante, dizer como o próprio apóstolo Paulo disse, depois de vencer a si mesmo: "já não sou eu quem vive, é o Cristo que vive em mim."

Mas, para que cheguemos a esse ponto, temos que travar muitas batalhas internas a fim de fazer com que os ensinamentos e os exemplos de Jesus, o Mestre por excelência, façam sentido para nós a ponto de se constituir em força motriz, a impulsionar os nossos pensamentos e atos.

* * *

Você sabia que Paulo de Tarso renunciou a muitas coisas para seguir a Jesus?

Ele, que foi um dos primeiros perseguidores dos cristãos em nome da sua crença religiosa, depois que viu o mestre às portas da cidade de Damasco, tornou-se seu seguidor fiel até os últimos dias de sua vida.

Mas, para isso, foi preciso silenciar muitas vezes a fera interna que tentava falar mais alto.

Foi preciso renunciar a si mesmo, deixar o orgulho de lado, tomar da sua cruz e seguir os passos luminosos do Mestre de Nazaré.

 

(Baseado em arquivo recebido pela internet, sem menção ao autor)

 
  Anterior Retornar Para Mensagens

Próxima

 
 

 

   

 

SIGA O SAUDADE E ADEUS NO TWITTER

Siga o Saudade e Adeus no Twitter

 
 

 

 

 

Yoriko - 05/03/2010 - 23:23 h.

Rosana,

Muitas vezes é difícil controlar os lobos que existem dentro de nós, mas devemos deixar que o lobo do bem vença sempre.

Excelente texto.

Beijos.


Geraldo - Blog do Pharis - 05/03/2010 - 23:45 h.

Olá Rosana,

Esta estória é importante, fico sempre pensando que a nossa estabilidade e felicidade depende muito da alimentação que estamos dando para o lobo correto.

Abraço.


Iúri - Simples Assim - 06/03/2010 - 00:21 h.

Olá querida Rosana,

Uma maravilhosa reflexão! Realmente temos que, em todo tempo, alimentar o bom lobo e ignorar o mau. Porém, infelizmente, às vezes o lobo mau surge como se fosse por um reflexo, um descuido, e acabamos agindo de forma ruim.

É preciso muito autoconhecimento para que o lobo bom aja sempre, e como disse o apóstolo Paulo, é preciso perseverar.

Beijos.


Fernandez - Orsty - 06/03/2010 - 01:15 h.

Olá querida amiga Rosana!
Um texto muito bonito que trás uma grande reflexão.
Temos que sempre tomar cuidado para alimentar o lobo bom.
Beijo no coração,

Fernandez.


Concentrado - Concentrado na Informação - 06/02/2010 - 10:41 h.

Olá Rosana, adorei essa história.


Lilian Candello Salvadori - Blog da Vovó Lili - 06/02/2010 - 11:15 h.

Olá querida amiga Rosana.

Estamos em sintonia. Recebi esse texto e até pensei em publicá-lo, pois gostei muito e nos leva a refletir, e como, não é amiga?

Como é dia que publicarei sobre uma das mulheres da Bíblia, deixei de lado e fiquei muito feliz ao ver seu post, pois é uma mensagem que merece ser lida.

Parabéns pela linda mensagem, a perseverança é uma das grandes virtudes que nos fazem crescer e sermos mais sábios.

Beijo no seu coração.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian.


Luísa - Artes e Manhas - 08/03/2010 - 13:43 h.

Olá Rosana,

Não é fácil dominar o lobo. Por vezes nem sequer é fácil perceber qual devemos alimentar, porque não devemos deixar o lobo mau morrer, visto ser ele que reconhece o mal. Apenas temos que aprender a dominá-lo.

Bonita história, amiga!

Beijos,
Luísa.


Evandro Passos de Oliveira - 08/03/2010 - 18:42 h.

Calo-me diante de tanta beleza, candura deste texto. Mil vezes parabéns por esta jóia.

Vassalo.


Elaborado e Idealizado por Rosana Madjarof - Todos os Direitos Reservados - Política de Privacidade