ALGUÉM PARA AMAR... - MOMENTO ESPÍRITA - PORTAL ESPÍRITA E FILOSÓFICO SAUDADE E ADEUS
Saudade e Adeus - Tatiana Madjarof Bussamra - Página Inicial

 

 Saudade e Adeus

 

 

Alguém Para Amar...

 

 

 O mundo está cheio de queixas. De pessoas que se dizem solitárias. Que desejariam ser amadas. Que vivem em busca de alguém que as ame, que as compreenda.

O mundo está cheio de carências. Carências afetivas. Carências materiais.

Possivelmente, observando o panorama do mundo onde vivia, foi que Madre Teresa de Calcutá certo dia escreveu:

Senhor, quando eu tiver fome, dai-me alguém que necessite de comida. Quando tiver sede, dai-me alguém que precise de água. Quando sentir frio, dai-me alguém que necessite de calor.

Quando tiver um aborrecimento, dai-me alguém que necessite de consolo. Quando minha cruz parecer pesada, deixai-me compartilhar a cruz do outro.

Quando me achar pobre, ponde a meu lado alguém necessitado. Quando não tiver tempo, dai-me alguém que precise de alguns dos meus minutos. Quando sofrer humilhação, dai-me ocasião para elogiar alguém.

Quando estiver desanimada, dai-me alguém para lhe dar novo ânimo.

Quando sentir necessidade da compreensão dos outros, dai-me alguém que necessite da minha. Quando sentir necessidade de que cuidem de mim, dai-me alguém que eu tenha de atender.

Quando pensar em mim mesma, voltai minha atenção para outra pessoa.

Tornai-nos dignos, Senhor, de servir nossos irmãos que vivem e morrem pobres e com fome no mundo de hoje.

Dai-lhes, através de nossas mãos, o pão de cada dia, e dai-lhes graças ao nosso amor compassivo, a paz e a alegria.

Madre Teresa verdadeiramente conjugou o verbo amar. Sua preocupação era primeiro com os outros.

Todos representavam para ela o próprio Cristo. Em cada corpo enfermo, desnutrido e abandonado ela via Jesus crucificado em um novo madeiro.

Amou de tal forma que estendeu a sua obra pelo mundo inteiro, abraçando homens de todas as raças e credos religiosos.

Honrada com o prêmio Nobel da paz, prosseguiu humilde, servindo aos seus irmãos. Tudo o que lhe importava eram os seus pobres. E os seus pobres eram os pobres do mundo inteiro.

Amou sem fronteiras e sem limites. Serviu a Jesus em plenitude. E nunca se ouviu de seus lábios uma queixa de solidão, amargura, cansaço ou desânimo.

Sua vida foi sempre um cântico de fidelidade a Deus, por meio dos compromissos com as lições deixadas por Jesus.

O Cristo precisa de almas dispostas e decididas que não meçam obstáculos. Almas que se lancem ao trabalho reconfortante e luminoso, no qual se pode ser útil de verdade.

Almas que não esperem nada dos seus atendidos a não ser a sua felicidade, sob as luzes do amigo Jesus.

Almas cujo único desejo seja o de amar intensamente, sem aguardar um único gesto de gratidão.

Almas que tenham entendido o que desejou dizer Francisco de Assis: é melhor amar do que ser amado.

 
Fontes: Livro Vida e Mensagem, cap. 20, ed. FRÁTER.
Poema de Madre Teresa de Calcutá – Dai-me alguém para amar.
 
  Anterior Retornar Para Mensagens

Próxima

 
 

 

   

 

SIGA O SAUDADE E ADEUS NO TWITTER

Siga o Saudade e Adeus no Twitter

 
 

 

 

 

Joana - Artes da Fadinha - 03/03/2010 - 14:57 h.

Rosana,

Madre Teresa de Calcutá deveria ser santa!... Espalhou o bem pelo mundo e ajudou a humanidade!

Lindo post!
Beijnhos.
Joana.


Concentrado - Concentrado na Informação - 03/03/2010 - 15:39 h.

Olá Rosana!

Adorei o texto, muito profundo.


Sereníssima - A Voz da Poesia - 03/03/2010 - 18:06 h.

Duas mulheres extraordinárias que nunca devemos esquecer e, no máximo que pudermos, seguir seus passos: Madre Tereza e Irmã Dulce. Santas, no coração de todos nós. Viveram para amenizar as dores dos menos favorecidos. Exemplos do que entendo por santidade.
Lindo texto, Rosana!

Beijo!
Serenissima.


Madresgate - Poesias & Fatos - 03/03/2010 - 18:26 h.

Ola "Menina"

O texto que você nos apresente é certamente uma dominação de sentimentos que uma Grande Mulher como Madre Tereza de Calcutá conseguiu espalhar pelos anos em que viveu praticando a solidariedade.
Suas atividades sempre foram voltadas aos mais necessitados independente "de que".
Suas atividades em busca da paz espiritual sempre revelou atos que até então a humanidade já os colocava em segundo plano.
O que estamos vivendo? Onde está o Amor compartilhado pelo bem? Aonde vamos chegar?
É bem verdade que existem pessoas que não ligam nem para si, que dirá para os outros! Mas devemos enaltecer esta grande obra.
Madre Tereza conseguiu nos mostrar que "amor" realmente é um conjunto de sentimentos que aflora para fazermos o bem.

Parabéns pelo texto apresentado, adorei as palavras nele contidas.
Um forte abraço.
Mad.


Lilian Candello Salvadori - Blog da Vovó Lili - 03/02/2010 - 19:36 h.

Olá querida amiga Rosana,

Parabéns pelo texto. Magnífico!

Madre Tereza de Calcutá foi um grande exemplo de doação de si mesma em favor dos menos favorecidos e dedicação extrema em amar ao próximo. Realizou um trabalho grandioso, ao conseguir aliviar as dores de milhares de pessoas, fornecendo o TIBICO (Cogumelos Chineses) para diversos países, inclusive para nosso país, pois desejava ajudar especialmente os de poucos recursos ou de lugares mais afastados, onde não havia doutores ou remédios. Ela distribuía o Tibico, com a única condição, de que o mesmo não fosse comercializado, que era para ser doado às pessoas. Esse trabalho ainda ajuda a salvar milhares de vidas, pois o cogumelo chinês, continua sendo espalhado pelo mundo, através das mãos de pessoas que foram beneficiadas com diversas curas.

Parabéns amiga, por postar matéria sobre essa grande mulher. Um exemplo de abnegação.

Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian.



Elaborado e Idealizado por Rosana Madjarof - Todos os Direitos Reservados - Política de Privacidade