BURIL DE LUZ - CHICO XAVIER - PORTAL ESPÍRITA E FILOSÓFICO SAUDADE E ADEUS
Saudade e Adeus - Tatiana Madjarof Bussamra - Página Inicial

 

 Saudade e Adeus

 

Buril de Luz...

 

 

BURIL DE LUZ - CHICO XAVIER   Em teus dias de dor,

Recorda, alma querida,

Que a dor é para a vida

Aquilo que o buril severo e contundente,

Entre as mãos do escultor,

É para o mármore sem forma...

Golpe aqui, golpe ali, outro mais e mais outro,

Um corte de outro corte se aproxima,

E o bloco se transforma

Em celeste beleza de obra-prima.

Que seria da pedra abandonada, ao chão,

Triste, bruta, singela,

Se a vida não traçasse para ela

Planos de construção?

Que destino o da argila esquecida e vulgar,

Sem a temperatura desumana,

Que deve suportar

Para ser porcelana?

 

Enxergaste, algum dia,

Fora das leis da natureza,

O trigo que não fosse triturado

Para ser pão à mesa?

Se alguém te fere e humilha, ama, entende, perdoa

E agradece ao trabalho, a angústia e a prova,

Em que a vida imortal se nos renova,

No anseio de ascensão que nos guia e abençoa...

Alma querida, escuta!...

Para seguir à frente,

Em plena elevação

Sempre mais alta e linda.

Quem não chora, não serve e nem padece ou luta,

Parece tão-somente

Um ser espiritual em formação

Que não nasceu ainda...

 
Psicografado por Chico Xavier pelo espírito de Maria Dolores,
do livro Mãos Marcadas, por espíritos diversos.
 
  Anterior

Retornar Para Chico Xavier

Próxima

 
 

 

   

 

SIGA O SAUDADE E ADEUS NO TWITTER

Siga o Saudade e Adeus no Twitter

 
 

 

 

A caixa de comentários só poderá ser visualizada corretamente se você estiver usando os navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome.

 

 

 

Príncipe Encantado - Mensagem Para Nós Dois - 25/03/2010 - 09:19 h.

Mais uma linda mensagem.
"Se alguém te fere e humilha, ama, entende, perdoa"
Abraços forte.


Geraldo - Blog do Pharis - 25/03/2010 - 11:29 h.

Olá Rosana,

Um bloco de mármore será sempre um bloco se, não houver um escultor qualificado para o trabalhar, assim como nós, sem as experiências da vida, seremos o quê?

Abraço.


Fernandez - Orsty - 25/03/2010 - 12:35 h.

Olá Rosana querida!
Lindo texto. Como sempre iluminadíssimo.
Beijo no coração,

Fernandez.


Luísa - Artes e Manhas - 25/03/2010 - 12:55 h.

Bonito o poema Rosana,

Afinal é a vida, espinhosa e contraditória que nos dá a forma. Tal como o buril nas mãos do escultor dá a forma à pedra.

Beijos.
Luísa.


Lilian Candello Salvadori - Blog da Vovó Lili - 25/03/2010 - 22:42 h.

Olá, querida amiga Rô.

Parabéns por essa poesia magnífica que nos presenteia para edificar nosso espírito.

Como os versos da poesia, assim é nossa vida, com os percalços que encontramos no caminho, assim a vida vai moldando nosso destino.

A paz, amada madrinha.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian.



Elaborado e Idealizado por Rosana Madjarof - Todos os Direitos Reservados - Política de Privacidade